Buscar
  • Elis Cristina

SÉRIE MINHA HORTA: A SALSINHA

Atualizado: Jul 6


Tem gente que conhece como Salsa, Salsinha ou cheiro verde na região sudeste, o importante é que esta erva não pode faltar numa boa horta que se prese!


Seu uso na culinária é diverso, mas essa erva versátil não se limita à culinária apenas, assim como muitas outras, sendo muito utilizada na medicina através de chás. Há quem diga que combate mal hálito, cistite, pressão alta, reumatismo e até ajuda a expelir pedras nos rins! Porém, deixo aqui registrado, para ninguém esquecer, que é importante sempre consultar um médico antes de ficar se automedicando, mesmo que seja através de ervas naturais, combinado!?

Existe uma variedade de espécies, pelo menos 10 espécies diferentes, mas a mais conhecida é a Salsa Lisa, Neapolitanum, a que estamos mais acostumadas aqui no Brasil, mas tem também a salsa crespa, Crispum, que tem o sabor mais leve, e tem as Tuberosum que são mais cultivadas para consumo de suas raízes, como a salsa de hamburgo e a salsa-alemã.


Independente da espécie, todas são originárias da região do Mediterrâneo no hemisfério norte, o que nos dá a pista de quais condições de clima que elas preferem, ou seja, para um bom cultivo da Salsinha, opte por lugares de clima ameno, entre 8 e 22ºC, evite que sua salsinha fique exposta a geada e nem ao vento em excesso, o que pode lhe causar stress e desidratação.


Quanto a luminosidade, ela precisa de sol pleno, ou seja, no mínimo de 4 horas de sol direto em suas folhas diariamente, caso contrário, ela não se desenvolverá saudável, sendo mais susceptível a alguma doença ou bichinho indesejado. 


Com relação ao substrato/solo, opte por um fértil que garantirá que tenha salsinha por mais tempo, use adubos orgânicos, uma boa opção para hortas é o humos de minhoca, e mantenha este solo ou substrato sempre úmido e protegido com alguma cobertura como folhas secas ou serragem.


Para quem for plantar em vaso, opte por um de pelo menos 15 cm de diâmetro e com furo, faça a montagem correta de camada drenante e substrato correto que não terá erro. Caso opte por vasos compartilhados, opte por colocar espécies que tenham similaridade com relação a rega e luminosidade com a Salsinha, como o orégano.


Além da adubação, é importante ter sempre o cuidado de fazer a limpeza das folhas secas as podando, se for o caso, olhar os versos de suas folhas com frequência para evitar infestações de fungos, pulgões ou cochonilhas, ou algum outro inseto, e afofe com frequência o substrato/solo.


Você pode comprar um vasinho lindo de salsinha para tê-lo em casa e replantá-lo se preferir. Porém, se for para fazer muda, o ideal é por sementes, por se tratar de uma espécie bianual, ou seja, que tem seu clico de vida de até 2 anos. Sendo assim, pode adquirir suas sementes comprando um pacotinho, ou deixando sua salsinha florir, que por sinal são lindas as flores da salsinha, e coletar suas sementes.


Faça a semeadura direta da sua salsinha onde será o lugar definitivo, não precisa de sementeira, e o faça em solo/substrato fértil e na época de março a setembro em locais de inverno menos rigoroso, em locais de clima ameno pode ser o ano todo e em locais onde o inverno é rigoroso é melhor evitar a semeadura nos meses frios.


Por fim, a hora da colheita é muito importante para manter sua salsinha sempre saudável, e a primeira pode ser feita depois de 50 dias de semeada, ou quando atingir 10 cm de talo. Faço o corte sempre o mais rente da base, colhendo primeiro as folhas mais velhas, permitindo que as novas adquiram maturidade e sua colheita possa ser recorrente.


Prontinho! Ai está, mais um cultivar sem segredo para você ter na sua horta!

Se ficou alguma dúvida, é só escrever para Soul Verde! 

43 visualizações

11 964000424

©2018 by Soul Verde.