Buscar
  • Elis Cristina

SÉRIE MINHA HORTA EM CASA: O HORTELÃ

Atualizado: Jul 6



Hoje será o primeiro post de alguns que virão pela frente de uma série, MINHA HORTA EM CASA, a qual vou falar como cultivar algumas das ervas, temperos e hortaliças mais conhecidos por nós, e que podemos, perfeitamente, cultivá-las em casa, nos ajudando a ser mais subsistentes em relação aos nossos alimentos, bem como nos proporcionam um grande bem estar físico e mental, plantando e colhendo nosso próprio alimento, bem como uma alimentação mais saudável e, de quebra, conseguimos economizar uma graninha!


Na semana passada a Soul Verde disponibilizou, gratuitamente, mais uma ferramenta para te ajudar a cuidar e criar do seu cantinho verde. Em meio a esse momento de pandemia que estamos passando, muitas pessoas têm buscado começar ou aumentar seu cultivo de alimentos em casa, e, portanto, criamos o PLANNER DE HORTA para te ajudar nessa empreitada.


Se você ainda não baixou, esse é o link https://bit.ly/plannerhorta, e não deixe de assistir ao video onde eu explico como utilizá-lo - https://bit.ly/videoplannerhorta.


Bom, recados dados, vamos ao primeiro Cultivo da série, o HORTELÃ (Mentha)


Acredito que todos conhecem essa planta, se nunca cultivaram, já experimentou seu sabor refrescante alguma vez, pois seu uso é diverso, desde chás para digestão e dor de garganta ou afta, molhos para acompanhar comidas gordurosas, toques em saladas, drinks como mojito e caipirinhas, até balas, chicletes, pastas de dente e enxaguantes bucais.


O hortelã é tão versátil e tão querido, que é utilizado para alimentação, medicina, cosméticos e também como símbolo de hospitalidade, graças a mitologia grega, em que é contada a história de que o Deus Grego Zeus andava pela Terra atrás de água, depois de ser ignorado por algumas pessoas, um casal o recebeu tão bem em sua casa, com uma mesa farta de comida e decorada com ramos de hortelã.


Assim como sua versatilidade, o gênero Mentha é vasto, encontramos diferentes espécies de Mentha por ai, todas com seus óleos essências característicos pelo sabor e cheiro de frescor, variando o tamanho da folha, textura e cores. A que estamos mais acostumadas a ver e usar é o Mentha piperita, aquele da folha verdinha e enrrugada, mas temos também a Hortelã do Norte (Plectranthus amboinicus), Hortelã Variegata (Mentha suaveolens), Hortelã Portuguesa (Mentha vilosa), Poejo (Mentha pulegium), Levante (Mentha spicata) e Hortelã Branca (Plectranthus sp).


A maioria dessas espécies são de origem Europeia, mais precisamente, de clima temperado, o que as tornam tolerantes a temperaturas mais altas e baixas, mas não a geadas, além de ser daquelas ervas que se adaptam tanto ao Sol Pleno quanto a meia sombra, o que a torna uma ótima opção para cultivar para quem mora em apartamento e tem incidência de sol apenas pela manhã ou final da tarde.


Seu solo é fundamental que esteja sempre úmido, mas não encharcado, além de que seja fértil, portanto, sua adubação se faz necessárias mensalmente, com adubos orgânicos, de preferência, como humos de minhoca ou composto orgânico.


Se plantado em vasos ou jardineiras, opte por um substrato bem drenável, e quando sua superfície estiver seca, significa que é hora de regar. Faça o plantio de forma correta, sempre mantendo os furos do vaso desobstruídos, com camada drenante de argila expandida ou outro material e a não esqueça da manta.


Opte por Plantá-lo sozinho em sua jardineira ou vaso, e não junto de outra espécie, pois o Hortelã tem um comportamento invasor, graças as suas raízes e caules subterrâneos que crescem muito rápido e sorrateiramente por debaixo da terra, impedindo o crescimento das outras espécies. Se não tiver outra opção, uma dica é plantar a muda com um vaso menor dentro do outro vaso, o que vai ajudar a contê-lo.


Anualmente faça uma poda drástica em seu Hortelã, seja qual espécie for, ou seja, quando ele estiver com caules compridos e com folhas espaçadas e quase que só na ponta, pode bem rente a terra, de forma que ele irá rebrotar e ficará mais forte. Aproveite um dia de Lua Minguante.


Para fazer muda, existe três formas, semente, estaca ou divisão de touceira.


As sementes devem ser semeadas em terra fértil, também, por semeadura indireta, ou seja, semeie, primeiramente, em uma sementeira ou algum recipiente menor, podendo ser feito o ano todo, exceto se for em lugares onde em determinada época do ano tenha geadas. Mantenha em lugar com claridade, e não sol direto, e depois de 25 a 30 dias, replante no local definitivo com espaçamento mínimo de 30 cm, ou em vaso de no mínimo 20 cm de diâmetro, e cuide como mencionado a cima.


Já por estaca, retire da parte superior da planta um ramo de uns 10 cm de comprimento, cortando em bisel, ou seja, a 45 graus, limpe as folhas abaixo, aproximadamente uns 2 dedos, e plante em substrato bem drenável, aguarde enraizar, no mínimo 1 mês, mantendo sempre úmido o substrato e em local de bastante claridade, mas não sol direto. 


Outra forma de conseguir uma muda de Hortelã, e até mais eficiente que por estaca, retirar da planta uma parte daquele caule subterrâneo, e já com raiz, e plantar.


Por fim, para colher seu Hortelã, nunca colha só as folhas deixando seu caule peladinho, tire sempre com o caule, e corte, com uma tesoura ou faca afiada, o mais rente possível do par de folhas que vão ficar, ou seja, sem deixar um toco.


Pronto, este é o Hortelã, uma planta muito fácil de se cultivar em casa, e que lhe proporcionará uma vasta opção de formas de utilizá-lo! Agora, mãos à terra! (;


75 visualizações

11 964000424

©2018 by Soul Verde.