Buscar
  • Elis Cristina

SÉRIE MINHA HORTA: O MANJERICÃO



Das diversas espécies de ervas e temperos de uma horta, existe uma que nos deixa de cabelo em pé, mas mesmo assim insistimos em tê-las por perto, pois seu sabor, aroma e visual são incríveis, fazendo valer o desdobrar do tenta aqui e tenta ali! Estou falando do Manjericão!


É na pizza de marguerita, no molho da macarronada, no pesto, saladas, ixi, a lista vai longe, até um simples chá de Manjericão é uma delicia duplamente, pelo seu sabor e aroma. O perfume do Manjericão é inconfundível, basta uma esbarrada e lá vem o cheirinho!


Além da culinária, o Manjericão também tem propriedades medicinais que ajudam nos sintomas de enjôos e má digestão, além de ter efeitos antibióticos e muitas vitaminas e minerais. São também muito ornamentais, quase que uma planta completa, por isso que todo mundo sonha em ter um pé de Manjericão pra chamar de seu !


Tem o de folha pequena, o da folha larga, verde, roxo, são muitas as opções, mas os mais conhecidos são o da folha verde pequena (Ocimum minimum) e o que chamamos de Manjericão italiano (ocimum basilicum), muito utilizado no molho pesto. 


Mesmo existindo mais de 60 espécies diferentes de Manjericão, ôh família grande, não é mesmo?!, todos exigem cuidados muito parecidos, principalmente os dois mais conhecidos e consumidos por nós aqui no Brasil.


São cultivos de origem Asiática e que gostam de climas amenos, sendo intolerantes a muito frio, geadas, e mudanças bruscas de temperatura, principalmente, além de se incomodarem com ventos excessivos. Outro fator importante e a quantidade de sol direto em suas folhas, precisando de 6 horas diárias, no mínimo, o que os tornam um dos mais exigentes em comparação às outras espécies de ervas e temperos.


A sua rega deve ser regular, molhando com abundância seu substrato e depois voltando a regar quando ele estiver completamente seco, e lembre-se, que essa frequência vai depender muito do tamanho do vaso, quanto maior mais espaçadas serão as regas, e do local onde estiver.


Adube com frequência, se for com húmus de minhoca pode ser todo mês, exato no inverno, mantendo o substrato sempre fértil, o que vai contribuir para saúde do seu Manjericão.


Para fazer o plantio em vasos, opte por um de profundidade mínima de 30 cm, pois o Manjericão tem um porte arbustivo, diferentemente de outras espécies como a salsinha e o coentro, cujo porte é menor. Não se esqueça da montagem correta, camada drenante, manta drenante e substrato adequado.


Fique sempre de olho em suas folhas, principalmente no verso, pois é muito comum serem atacados por insetos como cochinilhas e pulgões, ou ainda por lesmas.


O Manjericão se trata de uma espécie anual, no máximo bianual, o que a torna uma planta de ciclo de vida curto, e quando floresce e suas flores secam é sinal que sua vida chegou ao fim. Portanto, a poda é um trato muito importante para que possa ter uma vida um pouco mais longa do seu Manjericão. Algumas pessoas podam as flores quando elas nascem, para que possam retardar o ciclo, além de proporcionar maior aroma e sabor às folhas. Entretanto, eu sugiro deixar sempre algumas flores, pois, além de lindas, são adoradas por abelhas, principalmente as nativas Jataís.


Para fazer mudas, o mais indicado é por sementes, as quais você pode colher depois que as flores secarem, ou daquelas convencionais de saquinho. O Manjericão é de semeadura direta, não precisando de sementeira, e seu espaçamento mínimo entre mudas é de 30 cm. Pode ser semeado o ano todo, exceto em locais com geada, então deve ser evitado as épocas mais frias, e depois de semeado, sua germinação é muito rápida, de 7 dias, e a primeira colheita pode ser feita quando atingir pelo menos uns 10 cm.


Você já deve ter visto pessoas fazendo muda com um pedacinho do galho do Manjericão na água. Funciona? Sim e não! Na verdade ele até vai enraizar, mas será o último suspiro da sua planta, ela não terá muita vida pela frente, pois ela já vai nascer velinha, pois o ciclo de vida do Manjericão é curto.


A colheita de forma correta contribui para saúde da planta ! NUNCA colha só as folhas deixando os galhos "peladinhos", veja a quantia de folhas que vai precisar e corte o galho, sempre o mais rente da folha que ficará na planta. Opte por fazer a colheita de ponteira, inicialmente, ou seja, das pontas dos galhos, que contribuirá para que sua muda fique mais cheia.


Por fim, mais duas dicas! Se você tem o hábito de cultivar sua horta perto do vidro da janela, tenha um cuidado especial com o Manjericão, não o deixando muito perto do vidro, pois isso proporciona uma mudança muito brusca de temperatura, o que acba estressando seu Manjericão ! Além disso, se seu manjericão está em vasos pequenos, opte por fazer regas por imersão, colocando o vaso todinho em um recipiente maior, e quando parar de borbulhar, pronto, ele bebeu tudo o que precisava!

26 visualizações

11 964000424

©2018 by Soul Verde.