Buscar
  • Elis Cristina

SÉRIE MINHA HORTA: O TOMILHO



Pode até não ter o brilho das outras ervas comumente encontradas nas hortas, as vezes até um pouco esquecido, o Tomilho é sem dúvida uma erva que uma vez apreciada, ai não tem volta, é paixão eterna!


Espécie muito versátil como suas outras companheiras ervas, carrega no seu nome, derivado do grego Thymus, o significado de coragem, e por este motivo, na idade média, era ofertado aos cavaleiros antes de suas batalhas.

Do misticismo aos pratos, o Tomilho é muito utilizado em diferentes receitas, como de carnes vermelhas e brancas, conservas, molhos, legumes em gerais, saladas e até para aromatizar vinagres, seja ele ao natural, ou com suas folhas secas que acentuam seu sabor.

Um outro motivo muito interessante de usar o Tomilho no preparo dos alimentos, é que ele possui Timol, uma substância com propriedades antibactericida e fungicida, o que acaba conservando os alimentos por um período maior.

Existem diferentes espécies de Tomilho, estes originários das regiões do Mediterrâneo, da Ásia menor e do Norte da África, mas aqui no Brasil estamos mais habituadas com duas espécies, o Tomilho comum (Thymus vulgaris)  e Tomilho Limão (Thymus citriodorus), sendo o primeiro mais utilizado seco nos preparos, e de sabor mais forte e marcante, e o segundo, com suas folhas um pouco maiores, ao natural e de sabor mais suave e levemente cítrico.


Diferenças nos usos, já na hora do cultivo ambos tem as mesmas necessidades, preferem sol direto de pelo menos 4 horas diárias, não são tão exigentes quanto a rega, podendo esperar seu substrato estar quase seco por completo para que faça a próxima rega, e são bastante tolerantes ao vento, sendo uma ótima opção para varandas!

Importante manter seu substrato/solo adubado mensalmente com seu adubo orgânico de preferência. Em caso de plantio em vasos ou jardineiras, que aliás o Tomilho vai super bem, não se esqueça de fazer o plantio com uma camada drenante para evitar encharcamento das raizes, e escolha suportes com no mínimo 30 cm de diâmetro, pois além de uma planta de ciclo de vida longo, também tem a característica de se espalhar sobre a superfície, assim como o hortelã.


Além dos cuidados com a luminosidade, rega,  drenagem e adubação, a poda é muito importante de se atentar, fazendo uma poda de limpeza anualmente nos meses de inverno, para que ele cresça sempre com mais força!

Para fazer sua própria muda, uma opção é por estaquia, então utilizando um ramo da planta mãe de uns 10 cm de comprimento e o plantando direto na terra, por divisão de touceira, quando a muda já é mais velha, ou por sementes.


As sementes devem ser semeadas em sementeiras antes de ir para o local definitivo, aproximadamente de 25 a 30 dias depois de germinar, sendo plantadas com espaçamento de 20 cm entre as mudas. Em locais de clima quente pode ser plantado o ano todo, já lugares mais frios, principalmente com geadas, o melhor é evitar essas épocas frias do ano.

Por fim, na hora da colheita, a qual poderá ser feita em uma muda semeada quando esta já tiver pelo menos com uns 30 cm de altura, lembre-se de cortar com uma tesoura ou faca afiada os ramos mais velhos, o retirando por completo e sem deixar ramos ""pedalinhos na planta.

30 visualizações

11 964000424

©2018 by Soul Verde.